Educação a distância em tempos de pandemia


TEXTO 1

A pandemia do novo coronavírus acarretou diversas transformações em diferentes setores da sociedade. A recomendação de quarentena e isolamento social dada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi amplamente adotada pelos países afetados pelo vírus. No Brasil, os comércios não-essenciais foram fechados e as aulas suspensas em todas as modalidades de ensino. 

 

A alternativa encontrada pelas instituições foi aderir amplamente a Educação a Distância. As aulas online passaram a fazer parte da rotina de milhares de estudantes brasileiros e até mesmo foram adotadas por profissionais autônomos como uma alternativa para driblar a atual crise. A EAD já experimentava um crescimento constante no país, mas, agora, tem sido uma prática comum na educação básica, ensino superior e outras modalidades. 

 

Nos últimos anos, a educação a distância experimentou um estrondoso crescimento no país. Somente nos cursos superiores, as matrículas na modalidade EAD já superaram os cursos presenciais. Em 2019, foram mais de 1,4 milhão de alunos no EAD, 52% do total de matriculados. Com a suspensão das aulas ocasionadas pelo isolamento social, o Ministério da Educação (MEC) autorizou o funcionamento dos cursos presenciais na educação a distância até que a situação seja normalizada no país. 

 

 

Outra medida adotada pelo MEC é que, em 2020, o ano letivo poderá ter menos de 200 dias. Entretanto, está mantida a obrigatoriedade de 800 horas no ano para as escolas de todo o país. 

 

TEXTO 2

Para muitas instituições e profissionais, o ensino EAD aconteceu de forma repentina e a adequação à nova modalidade precisou ser imediata. Prova disso é 83% dos professores se sentem despreparados para dar aulas online. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Península e avaliou as respostas de 7.734 mil professores de todo o país, entre os dias 13 de abril e 14 de maio de 2020. 

 

A educação infantil, etapa que costuma acontecer de forma totalmente presencial, tem sido a mais afetada. Os professores precisam realizar verdadeiros malabarismos para conseguir produzir as videoaulas e prender a atenção dos alunos. 

 

TEXTO 3

"Essa experiência que a gente está tendo, remota, é completamente diferente da experiência EAD", afirma o doutor em comunicação, Alexandre Kieling. Ele explica que a educação a distância, conhecida como EAD, tem uma metodologia bem programada desde o princípio.

 

"O aluno acessa o conteúdo e depois faz as tarefas no tempo que está previsto e, eventualmente, há salas virtuais para esclarecimento de dúvidas e fóruns para tratar alguns conceitos que são mais complexos", explica ao definir o ensino a distância.

 

Kieling exemplifica com o próprio trabalho. "No meu caso, estou envolvido em três níveis de ensino diferentes: graduação, pós-graduação (curso de especialização) e curso de mestrado. São abordagens diferentes de conteúdo, são estudantes diferentes e você precisa desenvolver dinâmicas diferentes para cada um dos níveis”, conta.

 

Essa mudança também foi sentida pela professora universitária Fabiana Coelho do Nascimento. "Eu sou professora presencial e de EAD, mas aquele ensino a distância no qual a gente só dá o suporte através dos conteúdos e de alguns vídeos gravados, não é uma assistência online como é agora, então é tudo novo", aponta.

 

Para esse novo modelo de ensino, Fabiana comprou um quadro branco e usa dois computadores.

 

Além de professora, Fabiana também tem outro emprego, no qual está em home office. Ela ainda cuida de um filho especial, que faz parte do grupo de risco da Covid-19.

Fabiana conta que não sai de casa desde o início do isolamento social no DF. Para comprar alimentos – ou utensílios, como o quadro branco que passou a usar nas aulas – ela usa a internet.

 

"Eu, como professora, mãe e dona de casa tenho me reinventado", conclui.

 

 

TEXTO 4

url.jpg

A ELABORAÇÃO DO TEXTO

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema: " Educação a distância em tempos de pandemia ". Apresente proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.