Pessoas em situação de rua no Brasil


TEXTO 1

Uma pesquisa publicada pelo Ipea com base em dados de 2015 projetou que o Brasil tem pouco mais de 100 mil pessoas vivendo nas ruas. O Texto para Discussão Estimativa da População em Situação de Rua no Brasil aponta que os grandes municípios abrigavam, naquele ano, a maior parte dessa população. Das 101.854 pessoas em situação de rua, 40,1% estavam em municípios com mais de 900 mil habitantes e 77,02% habitavam municípios com mais de 100 mil pessoas. Já nos municípios menores, com até 10 mil habitantes, a porcentagem era bem menor: apenas 6,63%. 

 

O especialista em políticas públicas e gestão governamental lotado no Ipea e também autor do estudo, Marco Antonio Carvalho Natalino, ressaltou a importância de dados atualizados sobre o tema, pois eles são essenciais à formulação e implementação de políticas públicas para essa parcela de brasileiros. 

 

Para os municípios com mais de 100 mil habitantes, Natalino diz que é preciso ir além das informações básicas. “Recomenda-se que seja incentivada a realização de pesquisas municipais com a população em situação de rua neste grupo de cidades. Nos municípios menores, o desenvolvimento e a disponibilização de metodologia de diagnóstico da população de rua pode fomentar a incorporação desse segmento nas atividades de vigilância socioassistencial desenvolvidas pelos governos municipais.” O pesquisador propõe, ainda, que a contagem dessa população seja incorporada ao Censo de 2020 e que, até lá, o governo federal incentive as gestões municipais a conhecerem melhor quem está em situação de rua.

 

TEXTO 2

Victor Vieira de Araújo Arguelho vive numa barraca com a esposa, os dois filhos e o irmão, no centro de São Paulo. O irmão de Victor diz que, na maioria das vezes, os cinco dormem no mesmo colchão. “Estamos precisando de uma barraca maior, ou até mesmo mais uma barraca para eu e o filho dele dormirmos. Assim, ele e a esposa dormem mais sossegados”.

 

Victor tem 23 anos e veio do Mato Grosso do Sul com 12 anos de idade. O objetivo da vinda é similar ao de grande parte dos brasileiros que se deslocam até São Paulo: conseguir um emprego e ter melhores condições de vida.

 

Um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) aponta que 71% da população em situação de rua paulistana é composta por migrantes, vindos do interior de São Paulo ou de outros estados.

 

O fato é que Victor não conseguiu melhores condições de vida. Depois de morar embaixo do viaduto Tiradentes e em sete ocupações, resolveu ir com a família para a região próxima ao Teatro Municipal. “Viver em ocupação é difícil. Nesta última em que estávamos morando, eu fiquei sabendo que eles iriam nos despejar. O jeito foi voltar para a rua”.

 

Na rua, além da carência de recursos, a família enfrenta um problema comum às pessoas em situação de rua: a exclusão social. “Sabe como eu me sinto aqui? É como se fosse um zoológico: as pessoas passam, tiram fotos, dão comida. Acho que todos vendo a minha situação e da minha família poderiam ter mais respeito”, desabafa Victor.

 

TEXTO 3

A ineficácia dessas políticas públicas fez com que, historicamente, se destacasse o trabalho das Organizações Não Governamentais (ONGs) e das Instituições Religiosas. No geral, essas instituições atuam na distribuição de alimentos, roupas e cobertores. Outro trabalho de assistência são os abrigos temporários e os albergues que, de um modo geral, são considerados insuficientes para beneficiar toda essa população.

 

Tais políticas, cujo objetivo é amparar as pessoas que delas necessitam, são insuficientes e geralmente não atacam a causa do problema, apenas tentam suprir as necessidades básicas de sobrevivência, como também não estão baseadas em um efetivo conhecimento acerca das demandas que norteiam esse contingente populacional.

 

Portanto, esse desinteresse do Estado pelas pessoas que se encontram na referida situação influencia diretamente no comportamento da sociedade, sendo que os moradores de rua são tratados ora com compaixão, ora com repressão, preconceito, indiferença e violência.

 

TEXTO 4

Resultado de imagem para morador de rua estatistica

 

A ELABORAÇÃO DO TEXTO

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema: Pessoas em situação de rua no Brasil". Apresente proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.