Juventude e álcool: Problema social


TEXTO 1

Hoje, no Brasil, causa grande preocupação o alcoolismo na adolescência, uma vez que os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo e as meninas, estão bebendo tanto ou mais que os meninos.

Alcoolismo nunca foi problema exclusivo dos adultos. Pode também acometer os adolescentes. Hoje, no Brasil, causa grande preocupação o fato de os jovens começarem a beber cada vez mais cedo e as meninas, a beber tanto ou mais que os meninos. Pior, ainda, é que certamente parte deles conviverá com a dependência do álcool no futuro.

 

TEXTO 2

“Está na hora de levar a sério o imenso problema do consumo de álcool no Brasil, se queremos melhorar a saúde das crianças e dos adolescentes”, declarou a coordenadora do Grupo de Trabalho sobre Drogas e Violência da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), doutora Evelyn Eisenstein, durante a transmissão do Special Interest Group (SIG) de Crianças e Adolescentes, realizado em 9/6. A videoconferência foi viabilizada pela Rede Universitária de Telemedicina (Rute), iniciativa coordenada pela RNP que apoia, implanta e incentiva projetos em telemedicina e possui 57 SIGs em várias especialidades e subespecialidades.

Esse encontro, com o tema 'Álcool, Jovens e Saúde Pública’, foi conduzido pela doutora Maristela Monteiro, integrante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), de Washington (EUA). O assunto foi abordado para ressaltar os riscos aos jovens que estão crescendo em uma sociedade que favorece o consumo excessivo de álcool, seja pelas propagandas, que muitas vezes aliam o consumo de bebidas alcoólicas a festas, lazer e atividade sexual, seja pelo fato de a cerveja ter se tornado um símbolo nacional.

Para os especialistas que participaram do SIG, o problema é que nem os pais, nem os jovens conhecem a dimensão dos danos causados pelo consumo de álcool, como violência, intoxicações graves, suicídio, homicídio, afogamentos, negligência de crianças, abuso doméstico, mau rendimento escolar e profissional. A longo prazo, ainda podem aparecer dezenas de doenças crônicas, que incluem o câncer de mama, hipertensão arterial, cirrose, cânceres do trato digestivo, neuropatias e a própria dependência. 

 

TEXTO 3

No Brasil, estimativas apontam que 26,8% dos jovens com idades entre 15 e 19 anos relataram consumo de álcool no último ano, semelhante ao índice mundial de 26,5% (OMS, 2018a). Dados da última edição da Pesquisa nacional de Saúde do Escolar (PenSE), de 2015, mostraram que a idade média do primeiro episódio de consumo de álcool é de 12,5 anos (MALTA et al., 2018).

 A pesquisa também apontou que 55,5% dos escolares do 9º ano do ensino fundamental (de 13 a 15 anos) reportaram experimentação, sendo mais comum entre os alunos de escolas públicas (56,2%) que de escolas privadas (51,2%), e que 21,4% dos escolares já sofreram algum episódio de embriaguez na vida. Quando comparados com o levantamento anterior, de 2012, observa-se que essa experimentação precoce de bebidas alcoólicas aumentou (de 50,3% para 55,5%) e o relato de episódio de embriaguez manteve-se estável (21,8%).

 

TEXTO 4

Resultado de imagem para juventude e alcool

 

A ELABORAÇÃO DO TEXTO

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema: " Juventude e álcool: Problema social". Apresente proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.