Os desafios do envelhecimento da população e da maior expectativa de vida


TEXTO 1

A população de idosos acima de 65 anos teve um aumento de 73% nos últimos 16 anos no Brasil. Nesse período, mais de 7 milhões de pessoas passaram a integrar essa faixa etária, que hoje representa 8% da população nacional, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2030, essa participação subirá para 13% e, em 2060, para 27% dos brasileiros. 

A escalada do envelhecimento, mais rápida do que a verificada em outras partes do mundo, impõe uma série de desafios para o País superar, como pagar a aposentadoria desse novo contingente de idosos.

 

TEXTO 2

Vice-presidente do Conselho Nacional da Pessoa Idosa (CNDPI), Bahij Amin Auh afirma que a mudança começa com educação. “O Brasil conquistou a vitória de aumentar a longevidade da sua população. Hoje, vive-se mais – a média de expectativa de vida da população brasileira é de mais de 75 anos. Agora, é preciso um amplo programa educacional, para que toda a população tenha noções básicas sobre o processo de envelhecimento, para que valorize e respeite a pessoa idosa”.

Hoje, já há previsão legal, inclusive no Estatuto do Idoso, de 2003, para que os sistemas escolares trabalhem conteúdos sobre esse tema, mas, segundo Auh, isso não tem sido feito. Representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ele diz ainda que a promoção dessa valorização passa pela garantia de mais informações para os idosos acerca dos seus próprios direitos.

Outro desafio do país é aumentar a oferta de políticas públicas que garantam que a população idosa envelheça de forma ativa. “Não adianta um corpo vivo. É preciso que a mente e as relações das pessoas idosas estejam em atividade”, afirma. Uma das questões mais relevantes para ele é a política de acolhimento. Diante de mudanças nas configurações sociais, muitos idosos passaram a ficar sem companhia em casa e sem receber os cuidados necessários, conversar ou contar com o apoio da família para desenvolver atividades.

 

TEXTO 3

A expectativa de vida no século XIX era de 33,7 anos. Porém, com os avanços tecnológicos e da medicina, em 2016 o número chegou a 75,8 anos. Aumentar a expectativa de vida é algo positivo, porém gera novos desafios econômicos e sociais.

O estatuto do idoso, de 2003 garante direitos básicos para a população idosa. Mas são necessárias mais medidas como garantia de aposentadoria, de serviços médicos, de transportes, segurança, entre outras, para assegurar maior qualidade de vida a este setor da população.

 

TEXTO 4

Resultado de imagem para desafios do envelhecimento da população e da maior expectativa de vida

 

A ELABORAÇÃO DO TEXTO

A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema: " Os desafios do envelhecimento da população e da maior expectativa de vida ". Apresente proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.